Novos caminhos para o turismo

Perto de alcançar a 6º fase de flexibilização, aos poucos, o Rio vai diminuindo as restrições impostas pelo coronavírus e recuperando-se economicamente, apesar dos inúmeros protocolos de segurança sanitária que estão em vigência por força da pandemia. É neste passo que o turismo do carioca firma o seu pé direito e avança para a retomada completa de suas operações, já com olhos voltados para o Réveillon e o verão de 2021.

No entanto, ainda que a adaptação ao novo modo de fazer e oferecer turismo seja um caminho que cariocas e fluminenses tenham, obrigatoriamente, que percorrer, questões estruturais para a atividade, no Rio e no Brasil, continuam necessitando ser debatidas.

Os resultados do turismo no Brasil caminham em descompasso ao resto do mundo. Enquanto o turismo internacional cresceu 4% em 2019, no comparativo com 2018, segundo a OMT, no Brasil sofreu uma retração de 4,1%. Diferentes disso, nossos vizinhos cresceram: Argentina subiu 6,6%, Colômbia 3,4%, Paraguai 2,9%, Na América o incremento foi de 2%.

Apesar das esperanças que todos tinham para 2020, principalmente no Rio, em função dos bons resultados do Réveillon, e do começo de 2020, a pandemia acabou atrapalhando os planos e comprometendo os resultados do ano.  A situação atual é de salvar estabelecimentos e empregos. Contudo, uma análise mais detalhada sobre os números do turismo internacional no país e no Rio, mostra que a evolução do setor aponta desafios.

Em números nacionais, o país está estacionado na faixa de seis milhões de turistas estrangeiros desde 2014, ano da copa mundial de futebol, realizada no Brasil. Naquele ano atingimos 6.429.852 turistas, segundo dados do Ministério do Turismo. Tivemos queda em 2015 e crescimento nos anos posteriores chegando aos 6.621.376 em 2018. Entretanto, fechamos 2019 com 6.353.141, ou seja, um resultado menor do que o de 2014. Enquanto isso, a Argentina já está recebendo quase de 7 milhões de turistas, o Chile quase 5,7 milhões, a Colômbia 3,8 milhões, segundo dados da OMT (2018).

No Rio atingimos a marca de 1 milhão de turistas estrangeiros (1.044.931) em 2011 e alcançamos mais de 1 milhão e meio em 2014 (1.597.153). Contudo, mesmo com a Olimpíada em 2016 (1.480.121), não repetimos mais o bom resultado. Fechamos 2018 com cerca de 1 milhão e duzentos (1.293.342) e 2019 com menos que isso (1.252.267).

Entretanto, se realmente desejamos incrementar nossos caixas com recursos do turismo, teremos que fazer nosso dever de casa e solucionar questões como: alto custo de nosso transporte aéreo interno, a falta de uma boa infraestrutura receptora em nossos principais destinos, a mobilidade local, a falta de sinalização e a capacitação dos colaboradores. Além disso, não podemos nos esquecer da construção e divulgação de uma programação de eventos – em nosso território. Tudo isso precisa estar bem planejado, de forma que, com grande antecedência, o turista possa visualizar e planejar sua viagem, adquirindo antecipadamente seus produtos de passeio.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.