O Almoço na Casa Julieta de Serpa durante a pandemia

Bayard Do Coutto Boiteux

Sexta -feira ,dia que escolhi para deixar o confinamento na atual semana ,resolvo revisitar a Casa Julieta de Serpa ,do amigo professor  Carlos Serpa .Falo em revisitar pelos momentos que a memória afetiva brotam em mim:as entregas do Prêmio Embaixador do Turismo do RJ ,o aniversário da Vanize Campos com um chá e peça musical ,a abertura para visitas do projeto Conheça o Rio a pé e ,o fato de permitir que a casa fosse um laboratório para os alunos dos cursos de turismo e hotelaria ,da extinta UniverCidade .No fundo ,estou também prestando uma homenagem a Julieta de Serpa,mãe do querido Serpa ,que ali fica eternizada.                                                  

          Não tenho reserva mas logo sou acomodado numa mesa no bonito salão que criou divisórias  entre as mesmas ,sempre inovando e buscando qualidade e proteção nos que ali optam por almoçar ou jantar .Como sempre ,o pessoal altamente qualificado e treinado pessoalmente por Beth e Carlos Serpa inicia  um verdadeiro ritual de Glamour sob a regência do maître Gilvan Pontes e sua equipe .Opto pelo menu de 80 reais que inclui entrada ,prato principal e sobremesa por entender ser mais rápido .Meu convidado e eu pedimos um Aperol Spritz ,meu drink preferido e um suco de limão .Somos os primeiros e únicos clientes no momento .Fazemos as escolhas dos pratos no menu que chegam com muito profissionalismo e uma alegria de atender escondida nos rostos cobertos por máscaras .Não sei infelizmente o nome do Chef mas os pratos aterrizam como se fossem pequenas obras de arte e são degustados como um manjar dos deuses .As escolhas são inúmeras e permitem que qualquer pessoa tenha uma experiência gastronômica infalível.Meu quiche de entrada e os bolinhos de bacalhau do meu amigo nos deliciaram seguido de um picadinho de filé mignon que derretia na boca culminando com a sobremesa que só eu escolhi e um café descafeinado .Os protocolos de segurança são seguidos com muita generosidade desde a chegada .                            

Foi um dia de muita alegria ,fotos lindíssimas ,visita da casa para apresentar o palacete a meu amigo,que saiu encantado e quer agora levar a mulher para uma surpresa.Praia do Flamengo,340 onde também assisti a um lindo show da cantora Hanna com um grupo de Embaixadores do Rio é uma pedida certa em tempos de pandemia.

Bayard Do Coutto Boiteux ,cidadão da Humanidade ,nascido no Rio de janeiro,é professor,escritor,funcionário público e trabalha voluntariamente no Instituto Preservale e na Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ(www.bayardboiteux.com.br)

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.