As novidades do Museu Nacional, que deve ter reabertura parcial em 2022

Alexander Kellner ocupava havia sete meses o posto de diretor da instituição quando o Museu Nacional, patrimônio brasileiro, ardeu em chamas na noite de 2 de setembro de 2018. 

O geólogo, especializado em paleontologia, segue no cargo desde então, envolvido no trabalho de recuperação, e enxerga 2021 com esperança surpreendente. 

“Houve atrasos, claro, a Covid-19 atrapalhou a vida de absolutamente todo mundo, mas estávamos em fase de planejamento, e isso você consegue fazer de forma remota. Agora é tempo de entregar”, diz. 

Um novo prédio administrativo foi erguido, o câmpus de pesquisa e ensino, que vai abrigar a parte acadêmica da instituição, começa a ganhar forma, e, assim como a biblioteca, tem previsão de conclusão para este ano. 

Também em 2021, sai do papel o projeto de restauração da histórica fachada do palacete onde viveram dom João VI, dom Pedro I e dom Pedro II. 

“Nossa meta é, em 2022, ano do bicentenário da Independência do Brasil, abrir parte do Paço ao público”, anuncia Kellner. 

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.