Turismo gerou mais de 21,5 mil empregos em 2020

Setor representou cerca de 15% do total de postos de trabalho gerados em todo Brasil.

Os serviços de alimentação foram alguns dos segmentos que mais contrataram no período.

Apesar de ser um dos setores mais afetados pela pandemia do novo coronavírus, o turismo gerou mais de 21,5 mil empregos em 2020. Os dados são do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), do Ministério da Economia. O número representou cerca de 15% dos 142,6 mil postos de trabalho que foram gerados durante todo o ano passado nos diversos segmentos da economia brasileira. Os destaques vão para as atividades de Hospedagem e Alimentação que garantiram juntas mais de 24,1 mil novas vagas.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, o número mostra o impacto que o setor tem em nosso país e seu potencial na recuperação econômica. “Estamos vindo de um ano atípico, mas nem por isso nos abatemos e continuamos trabalhando para não deixar nossas atividades pararem completamente. Esse dado só confirma que temos potencial para gerar mais emprego e ainda liderar uma retomada da economia em nosso país, gerando emprego e renda para os brasileiros”, disse.

Entre os estados, Santa Catarina (3,35 mil) foi o que mais gerou empregos nos segmentos que compõem o setor, seguido da Bahia (3,33 mil), São Paulo (2,6 mil) e Minas Gerais (1,5 mil). Na maioria das Unidades da Federação, o destaque nas contratações foi para as atividades de hospedagem e alimentação. De acordo com o Ministério da Economia, o Benefício Emergencial de Preservação da Renda e do Emprego (BEm) foi importante para o enfrentamento da crise econômica. Estimativas da Pasta apontam que quase 10 milhões de empregos foram preservados por meio do programa.

O Ministério do Turismo adotou uma série de ações durante o ano de 2020 em prol da manutenção de empregos e empresas do setor. Entre elas a liberação de R$ 5 bilhões em linhas de crédito para os estabelecimentos que foram afetados pela pandemia, a formulação de medida provisória que regulamentava o cancelamento e remarcações de pacotes turísticos e eventos culturais, além da distribuição de R$ 3 bilhões a estados, municípios e Distrito Federal para ações emergenciais na área de Cultura durante o estado de calamidade em função do novo coronavírus.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.