O segredo da “cozinha afetiva” da Venda Nova da Zezé, em Santa Maria Madalena

Já ouviu falar sobre culinária afetiva? Trata-se de uma gastronomia baseada em memórias. É experimentar um prato e imediatamente associar aquele sabor a uma lembrança gostosa da vida.

Quem vivencia a experiência de comer no restaurante Venda Nova da Zezé entende ao pé da letra o que significa.

Cada prato remete a uma memória e traz sensações boas.

O cliente Marcio Henriques conta que não deixa de passar pelo Restaurante quando visita o munícipio.

“A feijoada servida por ela faz você querer comer até estufar, e se por ventura você quiser um pouco mais, você verá um sorriso estampado do rosto de dona Zezé. Lembra quando você ia ou vai na casa de sua vó e pede para repetir? É como se você estivesse gritando que a comida está maravilhosa”, comentou o cliente assíduo.

Fundada em julho de 2001, a Venda Nova da Zezé, começou com três mesas, que ainda fazem parte do mobiliário. Atualmente, a casa comporta 52 pessoas bem acomodadas, entre a área interna e externa.

O tempero da Zezé já é um chamariz , que atrai todo público, mas o sucesso da Casa é a carne de porco. “Muita gente não sabe fazer carne de porco, fica seca e dura. Isso não pode acontecer. Muita gente gosta da nossa carne de porco porque é suculenta”, comentou Maria José Feijó Maia, 71 anos, mais conhecida como Dona Zezé, responsável por atrair muita gente para a localidade de Terras Frias, onde está localizada a Venda.

A avenida carrega o nome do saudoso pai de Dona Zezé, José Alves Maia, falecido em 1998, aos 90 anos, em plena festa do bairro.

Atualmente, o restaurante está atendendo apenas 40% de sua capacidade, devido à pandemia. E por causa desse período, a casa está funcionando às sextas-feiras, das 11h às 14h e aos sábados e domingos, das 11h às 15h.

Toda sexta, no inverno, é dia de feijoada. Aos sábados, geralmente, é dia de carne de porco e rabada. E aos domingos, carne de porco e carne assada. As guarnições são sempre: arroz, feijão, canjiquinha , couve, aipim e farofa.

Mas, como toda pessoa afetuosa, movida pelo prazer de alimentar bem o outro, se o cliente quiser algum prato específico, como uma galinhada, tutu, dobradinha, entre outros, basta ligar com um dia de antecedência e fazer seu pedido e sua reserva, pelo telefone (22) 99941-6765.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.